Cobre e outros metais básicos sobem com limites a refino na China

Data 17/08/2017

Cobre e outros metais básicos sobem com limites a refino na China

 

Os futuros de cobre operam em alta significativa nesta manhã, em linha com outros metais básicos, favorecidos por restrições impostas a refinarias chinesas.

Por volta das 7h20 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 1,46%, a US$ 6.456,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em setembro avançava 1,47%, a US$ 2,9255 por libra-peso, às 7h52 (de Brasília).

 Segundo o estrategista de commodities do Saxo Bank, Ole Hansen, os cortes que a China tem feito a sua capacidade de refino, como parte de uma estratégia para reduzir a poluição, estão impulsionando os preços dos metais.

 O rali nos preços do aço iniciado há cerca de um mês na China também influencia os metais básicos, comentou Hansen. O zinco, que é usado para a galvanização do aço, atingiu hoje o maior valor em uma década na LME.

 A China Hongqiao, maior produtora mundial de alumínio, confirmou no começo da semana que eliminou 2,68 milhões de toneladas em capacidade, equivalente a 4,5% do resultado global do ano passado.


Fonte: MINING.com

Compartilhar: